terça-feira, junho 01, 2021

Privatização da Eletrobras = energia mais cara, desmonte do setor e risco de apagão

Entre tantas declarações que são ditas, a última foi que a privatização da Eletrobras vai resolver a crise hídrica. Até nos faz lembrar da cloroquina para combater o Covid 19, que sempre tem gente disposta a acreditar. No caso em questão estamos falando da junção de um problema natural - a falta de chuva - com a desatenção no planejamento do sistema elétrico. Portanto, duas coisas que não se resolvem com a privatização.

De forma oportunista e desonesta, o governo passou a dizer que com a privatização da Eletrobras os reservatórios das hidrelétricas sairiam da crise hídrica e do risco de um apagão em 2022, casualmente, ano de eleição onde vale tudo. Como vão fazer a mágica da "chuva localizada" ninguém até agora ousou dizer. 

No final do segundo mandato de FHC, de julho de 2001 a fevereiro de 2002, o país enfrentou um apagão de grandes proporções. A resposta da sociedade veio nas urnas com a eleição de Lula em 2002. A falta de energia é fatal e todos sabem disso, até o capitão Jair. Usar a privatização da Eletrobras como resposta para uma situação hidrológica, é enganação. O risco de novos apagões vai continuar. Aliás, só não enfrentamos falta de energia esse ano por causa da pandemia que travou a economia.

Luís Nassif, um dos nossos mais atentos jornalistas, resumiu como poucos o significado dessa privatização: "é um dos golpes mais ruidosos das privatizações brasileiras". Para ele, a entrega da Eletrobras para a iniciativa privada irá descontratar a energia, resultando num  pagamento para uma nova outorga que recairá sobre o bolso do consumidor. Simples assim.

Atualmente as hidrelétricas já amortizadas, que geram uma energia bem mais barata permitem que a - Eletrobras pública - consiga administrar melhor o preço médio das tarifas.  Sem essa condição o mercado se encarregará de encarecer a energia para cobrir o alto custo de mais geração térmica como o governo quer. Portanto, a privatização da Eletrobras não vai resolver a crise hídrica. Só a chuva pode resolver isso...  

PS - "Especialistas do setor, que falaram na condição de não terem seus nomes revelados, afirmam que os defensores das térmica na MP de privatização da Eletrobras aproveitam o momento de crise energética para atender interesses privados e políticos." (FSP - 30/5)

Nenhum comentário: